Como Organizar as suas Finanças e Investir Melhor?

Hoje, eu vou te mostrar como você pode organizar as suas finanças e investir melhor. Por isso, se você está com dificuldade para se organizar financeiramente e ainda não está conseguindo investir, este conteúdo foi feito para você.

Vendo as principais necessidades dos inscritos no nosso canal do YouTube, eu venho percebendo que tem muita gente com dificuldade para se organizar financeiramente. É por isso que eu estou fazendo esse vídeo. Mas antes da gente começar, eu quero te dizer duas coisas:

A primeira é que, se você seguir todos os passos que eu vou te mostrar nesse vídeo, eu tenho certeza que você vai conseguir se organizar e manter as suas finanças em dia.
A segunda é que, se as dicas e estratégias que eu te passar nesse vídeo lhe ajudarem, você vai se inscrever no canal e divulgar este vídeo com três amigos, combinado?!

 

SO, LET’S ROCK! 🤘

 

 

Entendendo sua situação atual.

Entender a sua situação atual é a primeira coisa que você tem que fazer quando se deseja ter uma organização financeira.

No momento em que você não sabe como estão os seus custos, as suas despesas e o seu saldo no final do mês, é impossível se organizar financeiramente. Por isso, o ideal é que, nesse primeiro momento, você faça uma análise financeira para ver como está a sua situação atual. Você tem dívidas? No final do mês, sobra dinheiro?

É muito importante que você veja esses dois pontos. Se você tiver dívidas, o ideal é colocá-las na ponta do lápis e deixar em um papel – vamos usar isso no próximo passo.
Caso sobre dinheiro, é recomendável que você saiba quanto esta sobrando por mês. Isso será essencial, principalmente quando entrarmos na parte dos investimentos.

Gastos

Depois de fazer uma análise financeira, é interessante olharmos para os gastos que você tem mensalmente.

Não olhar os gastos é um erro muito comum que as pessoas cometem nesse processo e que acaba dificultando a organização financeira. Por isso, pegue novamente uma folha de papel e comece a traçar todos os seus gastos em um único mês.

Esses gastos vão de coisas mais importantes, como o aluguel, alimentação, até os seus gastos com diversão. Tudo deve estar incluso nessa análise financeira.

Se você é o provedor da casa, também é essencial que você veja os gastos da sua família. Dessa forma, apenas como exemplo, vamos supor que você tenha dois filhos. Nesse caso, além de todos os seus gastos pessoais, você ainda terá que incluir todos os gastos que os seus filhos têm.

Club, eu sei que no primeiro momento isso pode parecer chato, mas vamos com calma. Essa é uma fase trabalhosa, mas que vai fazer a diferença mais para frente.

Bom, depois de você olhar todos os gastos do mês, eu recomendo que você anote tudo em uma folha de papel.

 

Ganhos

Agora, depois que você já sabe de todos os seus gastos mensais, chegamos na hora dos ganhos.

Isso mesmo, nessa terceira etapa, você precisará analisar quais são os seus ganhos mensais. Talvez, boa parte das pessoas que estão vendo esse vídeo são CLTs, trabalham com carteira assinada, mas se você faz alguma renda extra além do seu salário, você também deverá considera-la nessa conta.

Ou então se você é um vendedor ou trabalha em alguma área onde o seu salário é variável, é importante que você pegue os rendimentos totais dos últimos seis meses e faça uma média para ver qual é o seu ganho médio por mês.

Assim como a fase de gastos, eu sei que essa é uma etapa trabalhosa e que muitas vezes fará com que você leve um bom tempo até conseguir anotar tudo. De qualquer forma, se dedique, essa fase é primordial.

Como última coisa, se você tem imóveis ou algum tipo de investimento, como fundos imobiliários, que lhe geram uma renda recorrente todos os meses, você também deve coloca-los nessa conta.

Depois de analisar todos os seus custos e ganhos mensais, chegamos na hora mais importante, a hora do balanço final.

 

Balanço Final

Nessa parte de balanço final, você deverá pegar a anotação que você fez dos gastos mensais e a dos ganhos.

Como o próprio nome já diz, essa é a hora que faremos um balanço entre aquilo que você ganha e o que você gasta. No mundo das finanças, brincamos que essa é a “hora da verdade”, pois é aqui que você descobrirá se você está com uma vida financeira saudável ou não.

Apenas para que você consiga entender melhor, vou dar um exemplo:

Para esse exemplo, vamos imaginar que existe um cara chamado Pedro.

Pedro trabalha e ganha dois mil reais por mês. Sendo que, somando todas as despesas dele e dos seus três filhos, ele tem um gasto mensal de três mil e duzentos reais.

De cara, fazendo o balanço final, podemos ver que Pedro está com uma situação financeira péssima, onde mensalmente ele gasta mil e duzentos reais a mais do que ganha. Nesse cenário, em poucos meses, Pedro estará com uma dívida enorme.

É claro que esse é apenas um exemplo, mas infelizmente essa é a grande realidade de muitas pessoas no Brasil.

E mesmo que você seja uma dessas pessoas que está terminando o mês no negativo, não se preocupe. Me acompanha pois vamos falar como você pode virar este jogo.

Bom, depois de entender como fica o seu saldo, vamos partir para a próxima etapa.

Se o seu saldo no final do mês termina positivo, ótimo, você já pode pular direto para a seção dos investimentos, caso contrário, vamos falar como você pode acabar com suas dívidas e começar a investir.

 

Dívidas

Entendendo que o seu saldo final está negativo, você precisa fazer algo para acabar com as suas dívidas e conseguir ao menos se bancar no final do mês.

Dessa forma, se o seu salário já não consegue ser o suficiente para bancar esses seus custos, você PRECISA começar a fazer renda extra.

Eu sei que muitas pessoas acham ruim fazer renda extra, mas entre ficar endividado e fazer renda extra, essa é a melhor opção.

Nessa parte, você pode fazer renda extra de várias formas diferentes. Eu recomendo que você tente vender produtos que você não usa mais ou até mesmo prestar algum tipo de serviço. Há vários casos de pessoas que conseguiram sair das dívidas vendendo doces ou produtos simples, por isso, seja criativo!

Se vocês tiverem dificuldade para fazer renda extra, basta comentar aqui que eu farei um conteúdo mostrando melhores maneiras de fazer renda extra.

Depois de começar a fazer renda, é importante que você ligue pro banco ou pro credor que você tem dívidas e tente negociar. Pessoal, essa é uma parte essencial. Não adianta nada pensar em investir, sem antes ter negociado e quitado as suas dívidas.

E não pense que isso não adianta, que não vai levar em nada por que vai sim. Os credores querem receber o dinheiro de volta e em praticamente todos os casos você consegue diminuir bastante a sua dívida assim como parcelar o que esta devendo.

O ideal aqui é que você consiga negociar a sua dívida ao ponto de conseguir pagar as parcelas dela com o dinheiro que você vem fazendo com a renda extra.

Fazendo isso, eu tenho certeza que você acabará com as suas dívidas e conseguirá equilibrar as contas do mês.

 

Investimentos

Depois de passar pelo sufoco das dívidas e das contas no negativo, chegou a hora da virada, a hora dos investimentos.

Como eu sempre prego aqui no canal, investir é a melhor forma para você conseguir ter uma liberdade financeira no longo prazo. Hoje, mesmo que você tenha só um pouco de dinheiro para investir por mês, você já consegue começar.

Independente se você tem cinquenta reais ou quinhentos, o importante é que você invista. Mas aí você pode estar perguntando: “Mas Wagner, como eu começarei a investir?”

Bom, eu recomendo que você comece criando uma reserva de emergência. A reserva de emergência não é nada mais do que um dinheiro que você terá guardado para caso aconteça alguma emergência.

Só quem já passou aperto financeiro sabe o quanto uma reserva é essencial. Por isso, mesmo que sobre muito dinheiro por mês, se dedique para conseguir montar uma reserva.

Depois de ter uma reserva de emergência que cubra de 6-12 meses do seu custo de vida, você já pode começar a pensar em investir de forma mais arriscada…

 

Renda Variável

Nesse caso, quando você já tem uma vida financeira saudável e uma boa grana guardada na reserva, a renda variável se torna uma ótima opção.

Com a renda variável, você vai conseguir ter retornos maiores, o que vai fazer com que os seus investimentos cresçam.

O ideal aqui é que, como você ainda não está acostumado com a volatilidade do mercado, você comece a investir em ativos menos voláteis – como fundos imobiliários.

O legal dos fundos imobiliários é que, com eles, você vai conseguir começar a ter uma renda mensal recorrente – já que eles pagam todos os meses.

Mesmo que os seus aportes mensais sejam pequenos, com o passar do tempo você vai conseguir começar a acumular um patrimônio interessante, o que fará com que os seus retornos comecem a ser mais expressivos.

Conforme você for se acostumando com a volatilidade da renda variável, você vai investindo em mais ativos, como ações e ETFs. Aqui no canal, temos vários vídeos falando sobre esses ativos.

 

Se você for ver, o propósito desse conteúdo é ser um guia para você, tendo cada parte do vídeo como uma etapa da sua vida financeira. Primeiro, você começa equilibrando os seus gastos, depois fazendo renda extra, quitando dívidas, criando reserva, até chegar na parte de conseguir realmente investir em renda variável.

Bom, por hoje eu vou ficando por aqui. Eu espero muito que este conteúdo tenha te ajudado a organizar melhor as suas finanças ou até mesmo a sair da dívida. Eu quero que você saiba que eu estou aqui para te ajudar. 

Se você tiver alguma dificuldade sobre finanças ou alguma dúvida em um assunto, deixe aqui nos comentários, eu vou ler a sua sugestão e quem sabe ela pode se tornar o tópico de um próximo vídeo. Combinado?!

 

inscreva-se

Deixe um comentário